domingo, 2 de dezembro de 2007

"MANUAL DO CAFAJESTE MODERNO" - ISAÍAS CAMANDUCAIA

Este blog é uma prova de amor à literatura e ao meio-ambiente. São duas manifestações de sentimento fortíssimo oriundas do fato desse Manual não virar um livro.

Afinal, um blogueiro que efetivamente gosta e respeita a literatura não emporcalha prateleiras com trabalhos medíocres; e um cidadão consciente jamais permitiria que uma mísera árvore fosse derrubada para que seus parágrafos fossem impressos.

Sou dessa turma. Consciência ecológica e bom-senso. Noção coletiva e individual. Um cidadão no novo milênio? Babaquice. Apenas alguém com vergonha na cara.

É por isso que este - digamos - "livro" sai assim, num blog. Ninguém é obrigado a gostar ou desgostar, elogiar ou xingar, muito menos GASTAR UM CENTAVO para ler minhas idéias.

O índice abaixo, ainda por cima, facilita a leitura e evita aquela chatice de ficar descendo e subindo o cursor para "achar determinado texto". E assim por diante.

E vamoquevamo!

* * *

ÍNDICE DO MANUAL
Basta clicar sobre os títulos para que abra a página respectiva. Moleza, né? Difícil mesmo é ter saco para ler tudo...

Introdução

I - PARA OS HOMENS

- Teste: Você é um Cafajeste Moderno?

- Tipos de Cafajeste

- O Cafajeste Moderno

- Política: Abordagens Específicas

- Lista de Fingidoras de Orgasmo

- Explicações Manjadas das Moças ‘Com Personalidade’

- Duas Dicas Para Pagar Menos no Motel

- Sobre o "Jantarzinho Preparatório"

- "Viagra" é Remédio

- Rebocando o Canhão Para o Amigo Faturar uma Gata

- Como Acabar uma Relação Borocoxô - Ou Pelo Menos Conseguir uma Baguncinha da Boa

- A Tática Covarde do “Beijo de Tchau”

- As Mulheres da Hora do Aperto

- Caronas Distantes

- O Lendário "Desespero Praiano"

- Coisas Cafonas de Motel


II - PARA AS MULHERES

- Magricela Não É Sexy

- Lugar Público: A Tara de Quem Nunca Fez

- Medidas Práticas Para Acabar Com o Mau-Cheiro da Periquita

- Lingeries - Minha Lista de “In” e “Out”

- A Pinguça da Facul

- Por Que Não Ligamos no Dia Seguinte?

- Coisas que Fazemos a Contragosto Só Para Ganhar uma Mulher

- Como Cozinhar as Garotas em Banho-Maria

- Como os Homens se Comportam no Puteiro?

- Pequena Lista de Malandróvskis Clássicos do Verão

- "Ninguém Nunca Reclamou" é Uma Justificativa Idiota

- Dúvidas Femininas, Respostas Masculinas


III - OS DEZ MANDAMENTOS DO CAFAJESTE MODERNO

- Os Dez Mandamentos

INTRODUÇÃO

Até bem recentemente, ser cafajeste era o mesmo que não gostar de mulher. Os 'cafas' de outras eras deixavam bem claro o quanto desprezavam o sexo feminino. Misóginos ao extremo.

Não é nosso caso. Nós, os modernos, gostamos de mulher; ou melhor, de mulheres. Esse plural é que nos mata.

Os da geração passada batiam no peito e gritavam a plenos pulmões aquilo que eram. Não por orgulho, mas por afirmação. Tudo para fazer parte do grupo.

Nós, cafajestes modernos, não fazemos questão de fazer parte desta ou daquela turma. O importante, mesmo, é ter mulher por perto.

Fingimos gostar de poesia, bossa nova, artes plásticas ou qualquer outra coisa inescapavelmente intragável, tudo isso somente para faturar uma garota.

Muitas mulheres dizem que não gostam de cafajestes, mas isso é quase sempre mentira. Claro que gostam. Mulher odeia mocorongo, odeia homem bobo, odeia zé mané. Mas também não gostam de ser enganadas, não acham nada bacana estar ao lado de um espertalhão.

A equação parece complexa, mas na verdade é bem simples. Basta fazer um teatrinho. Somos cafajestes, elas bem sabem, mas fingimos que não. E pronto. Tudo resolvido.

O verdadeiro cafajeste moderno não se parece em nada com o 'antigo cafajeste'. Tudo bem que ambos pisam feio no tomate, mas cada qual em seu campo.

Enquanto os de antigamente eram machistas, misóginos e prepotentes; os de agora são gentis, carinhosos e companheiros. Só não conseguem ter apenas uma mulher.

Somos compreensivos em relação às complexidades femininas, como a TPM, a grande necessidade de chocolates ou mesmo o furor uterino provocado em grandes liqüidações. Pedimos, portanto, que as moças também saibam entender esse nosso jeitinho heterodoxo.

Daí ninguém briga.