domingo, 2 de dezembro de 2007

COISAS QUE FAZEMOS A CONTRAGOSTO SÓ PARA GANHAR UMA MULHER

Um homem fala e faz qualquer coisa para comer uma mulher. Qualquer coisa. Nós aceitamos condições desfavoráveis e vexatórias, toleramos frio, fome, sede etc. Tudo para assinalar o tento.

Não sei porque somos assim, mas somos. É a vida.

Sobre as mentiras, muito se falou e se escreveu. Mas ainda não vi uma grande compilação de tudo que fazemos - a contragosto - só para galgar êxito na fornicação.

Fiz um apanhado geral de todos os micos que já paguei nessas circunstâncias, e também trouxe informações de meus camaradas lá do boteco do Seu Paranhos.

Poesia
Ou o homem gosta de poesia, ou gosta de mulher. Difícil - muito difícil - gostar dos dois. Mas por que tantos homens encantadores não só gostam, como também demonstram grande conhecimento poético? E como eles próprios ainda produzem excelentes versos?

Tudo isso para comer a mulherada. Chico Buarque é a prova viva inequívoca de que os homens chegam ao ponto de se tornar mestres da poesia, só para faturar o mulherio.

Bossa Nova
Segundo recente pesquisa realizada pelos intrépidos cientistas do DataEu, não há uma única pessoa que realmente goste de bossa nova. Isso mesmo: ninguém. Existem, no máximo, os que a ‘toleram’.

Mas, ignorando tal pesquisa e acreditando que algumas mulheres realmente gostem de tal ritmo, conclui-se que os homens, para conquistá-las, precisam fingir que também gostam.

Em casos extremos, chegam a pegar um violãozinho e arriscar uma cantoria na base da ‘voz mansinha’, só para dar realismo à personagem.

Artes em Geral
Falando bem a verdade, nós homens não gostamos dessas coisas artísticas. Quando fingimos interesse em algo, é porque queremos comer alguma mulher. Simples assim.

E isso inclui dança, artes plásticas, orquestras sinfônicas, teatro e outras manifestações que suportamos para conquistar aquelas moças cultas encantadoras. Muitas vezes, como no caso da poesia, chegamos ao ponto de pesquisar, demonstrar ‘conhecimento’, mas é trambique.

O máximo de que gostamos é cinema, música e - em casos raros - literatura. Tudo que passa disso é firula para pegar mulher.

Dançar
Homem, homem mesmo, não gosta de dançar. Dançamos, claro, para pegar mulher. É um estratagema que dá certo em várias espécies animais; são as chamadas ‘danças de acasalamento’. No mundo moderno também há disso.

Na época da faculdade, por exemplo, somos levados a aprender forró, simplesmente porque, sabendo dançar, metade do ‘approach’ já está garantido. E é assim que funciona.

Se o camarada quer dançar sozinho, sem se importar com as mulheres ao lado, aí a coisa muda um pouco de figura. Mas, em muitos casos, não deixa de ser também uma ‘dança de acasalamento’.

Na Locadora de Vídeo
Quando temos mau gosto, filmes de luta ou de ação; quando temos bom gosto, dramas ou suspenses; quando queremos impressionar, filmes europeus; quando queremos impressionar pra valer, filmes asiáticos ‘cult’.

E as comédias românticas? Ah, essas merecem um capítulo à parte. Em geral, são chatas; mas algumas até que são bacaninhas. De um jeito ou de outro, fazemos sempre o mesmo ‘teatrinho’: alugamos o “nosso” filme, e mulher aluga o “dela”.

O “nosso” é algum filme ‘blockbuster’, e o “dela” é uma comédia romântica. O script é esse, e é bom não mudar. Até porque o filme é algo de somenos importância.

Caso Especial: Cunhado x Cunhada
É mesmo engraçado o que fazemos em relação a cunhados e cunhadas. Nós, homens, repetimos um mesmo padrão que chega a ser ridículo. Mas nós somos mesmo ridículos, então não há como esperar algo diferente.

É o seguinte…

Odiamos o cunhado, não queremos papo nem conversa alguma, mas suportamos, toleramos, agüentamos, e até fingimos muita simpatia. Chegamos ao ponto - em alguns casos - de levá-lo para dar uma volta, ou então ir para um jogo de futebol.

Já a cunhadinha… Ah! Verdadeira figura mitológica, não é? Com ela, exageramos na seriedade, demonstramos um respeito que chega a espantar; mas, na verdade, o que queremos é muita graça. Nelson Rodrigues nos (e as) entendia muito bem.

Moral da história: não temos moral alguma. Somos de uma amoralidade absurda. É um pragmatismo que quase provoca uma crise de consciência. Mas aí, é só tomar uma ducha fria que passa.

8 comentários:

Anônimo disse...

COMO VC PODE SER TÃO CRETINAMENTE PRECISO!!!RISOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS..TE ODEIO!!!

Cynthia disse...

Eu adorei mesmo o que eu vi até agora (li desde o começo do menu) mas a parte que vc citou a respeito dos cunhados e cunhada eu num poderia ficar sem comentar.
Puta merda cara, saí de uma roubada esses dias, eu tinha uma cunhadinha (inha mesmo) de 5 anos, cacete que criança pentelha, queria ser minha "amiguinha" e não desgrudava de mim, pior é q o canalha com quem eu estava só gostava de ficar em casa (de prefeência na dele), num dava nem pra mijar em paz q a menina tava lá atrás de mim...
é a mais pura verdade o que vc escreveu sobres os "cu´s..."
sempre a mulher odeia a cunhada e o homem o cunhado, isso faz parte dos instintos mias primitivos (eu acho).

um abraço

José Rodrigo Bragança Pacheco disse...

Bom, em primeiro lugar, quero dizer que descordo do autor, mas usarei de toda educação em minha crítica
cada um tem a sua percepção da verdade, e o autor tem por verdade absoluta que não existam homens que gostam de poesia,arte,bossa nova,etc. Bom, eu gosto muito de tudo isso e gosto mais ainda de mulher e não conheço mulher que não goste. Algumas não conhecem ou não entendem, mas gostam qdo vc apresenta a elas. Não vou dizer que nunca mentir pra pegar mulher, mas digo que nunca mentir estando com uma. Acho muita pouca criatividade ser um cafajeste, estar com uma aqui outra ali, pra mim e só querer "come-las", é coisa de quem não sabe aproveitar o que uma mulher tem; é claro que isso não vale pra todas, mas existe muita mulher por aí fantástica(que vale a pena AMAR)

Zeba Orange-blue

Anônimo disse...

José Rodrigo, relaxa, meu filho...
Vc tem que levar a vida mais cool.
Tmb tenho gosto por algumas artes e sou completamente apaixonado pelas mulheres, ms não dá pra negar que o que o Bud Spencer escreve se aplica a muias pessoas, situações e é de uma criatividade e leveza (no sentido de liberdade de expressão)de se admirar...
Bud, manda ver "Cumpade". Tenho me divertido muito com seu Blog e ate o José Rodrigo, se relaxar, fará o mesmo...
Parabéns pela iniciativa!

Anônimo disse...

Essa moral da história foi show!

José Rodrigo Bragança Pacheco disse...

relaxei

mermão , depois q escrevi esse comentário nunca mais entrei nesse blog. Voltando a ele, com a cabeça um pouco mudada digo q desconsidere minhas palavras ai em cima


E PEGA FOGO CABARÉ!

Galto disse...

Huahuahuahuahuahua!!!

Homem é o bicho mais sangue ruim de todos os universos conhecidos e desconhecidos!!!!

wagnerfelip disse...

Meu caro amigo, conseguir lêr tudo de uma só vez, realmente seus textos são de uma coerência e importância fundamental para sobrevivência da especie (homem )porem, faltou o cafajeste sábio, aquele que faz tudo isso e vive uma vida dupla, pois sabe que pode envelhecer e tantas noites de boemia pode tornar-lo um fraco na velhice ou não,( a alegria nos faz jovens). ele casa tem filhos e come todo mundo..força sempre!
W F.