domingo, 2 de dezembro de 2007

SOBRE O "JANTARZINHO PREPARATÓRIO"

Embora a modernidade tenha acabado com muitos entraves burocráticos, eliminando com isso várias firulas preambulares do sexo, parece que o tal “Jantarzinho Preparatório” não vai acabar tão cedo.

Trata-se de um ritual inescapável. Por mais objetiva que seja uma transa, é muito difícil não haver a refeição prévia. É aquela coisa de sempre: um jantarzinho, depois vinho ou algo assim, e então a fornicação ampla, geral e principalmente irrestrita.

A idéia do jantarzinho é em princípio boa, pois mostra que o casal, apesar de querer mesmo só dar uma sapecada, também sabe se comportar como gente grande e, antes do vamo-que-vamo, janta de forma civilizada.

Ok, ok, ok. Mas é ruim.

Digestão não combina com sexo. Esse negócio de ‘jantarzinho preparatório’ é a maior roubada. Dependendo do cardápio, inclusive, chega a ser ridículo.

Tem camarada que se entope na churrascaria e depois vai pro combate. Não dá. Começa a arrotar alcatra em cima da garota e queima geral o filme. Fica um puta cheiro de comida no meio da bagunça.

E pode acontecer de tudo: barriga roncar, soltar um traque (ou rojão), passar o famoso cheque ou até mesmo dar um revertério daqueles de ter que parar tudo com urgência.

Muitas garotas adoram comida japonesa, e os manés acabam dando uma passadinha no sushi só pra fazer média. O jantar, claro, vai às mil maravilhas. Só que esse tipo de comida costuma, em muita gente, ter um efeito devastador. E daí é aquela agonia, bem na hora de enfurnar o robalo.

Se o jantar for mesmo inevitável, o negócio é comer bem pouco. Mas bem pouco, mesmo. Só uma beliscadinha, nada além. Não custa nada evitar transtornos horríveis.

Por mais que pareça radical aos mais ‘conservadores’, o ideal é PRIMEIRO mandar brasa e DEPOIS jantar. Até porque, bem sabemos, o fastio pós-coito vem acompanhado de uma fome do cão.

Sei que a vida social exige uma série de etapas políticas e um sem-número de teatrinhos. Mas às vezes não custa nada seguir a lógica do nosso organismo.

5 comentários:

Fernando Jacobsen disse...

Muito boa, chorei de rir, parabéns, lembrei agora do gravataimerengue e aquela postagem antiga dos manetas no transito (tia da belina verde azeitona!!!!)

Anônimo disse...

O pior é quando um jantar de cortesia é confundido com "jantarzinho preparatório" e se cria uma situação constrangedora...

Anônimo disse...

me acabei de rir... parabéns rs
me lembrei do filme uma mente brilhante e o cara questionando estes teatrinhos

Shirley Natalie disse...

chorei de rir...apesar de vc ser bronco acredito q no fundo vc é um cara pra la de romantico!
bjs nas faces palidas!

Nêgo Guto disse...

Eu já levei uma gata pra minha casa com a desculpa de comermos alguma coisa. Lancei um pão de queijo no forno e parti pra cima dela - qdo ela perguntou: e o pão de queijo!? Eu disse: está no forno, qdo ficar pronto o fogão apita avisando. Cai dentro da mulher e no final, eu tinha outro pacote de pão de queijo no freezer, pq mesmo que o fogão avisasse, eu não iria ouvir ele mesmo.